Sindicato dos Metalúrgicos protesta em memória às vítimas de acidentes de trabalho e contra a reforma da Previdência

Com o lema “Morrer de Trabalhar? Tô Fora!”, o Conespi (Conselho das Entidades Sindicais de Piracicaba), realizou (26/04) uma manifestação pelas ruas do centro de Piracicaba, pelo Dia Mundial em Memória as Vítimas de Acidentes e Doenças no Trabalho, instituído no dia 28 de abril. A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Piracicaba e região esteve presente manifestando a indignação.

O protesto teve como objetivo, chamar a atenção da sociedade sobre o crescente números de acidentes e mortes no ambiente de trabalho. Em 2018, somente em Piracicaba, foram 5170 acidentes de trabalho; 14 acidentes por dia; 6 pessoas morreram; 60 mortes por acidente de trabalho nos últimos 5 anos.

Segundo Milton Costa, presidente do Sindicato da Construção Civil de Piracicaba, “a situação vivida pelos trabalhadores no ambiente de trabalho é preocupante. Muitos trabalham em atividades de risco sem Epi’s (Equipamentos de Proteção Individual). As empresas não oferecem condições dignas de trabalho”, disse.

Em frente a agência do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), os membros do Conespi, também protestaram contra a reforma da Previdência Social, que vem sendo imposta, pelo atual governo do presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com José Antonio Fernandes Paiva, presidente do Sindicato dos Bancários de Piracicaba, “não precisamos de uma reforma da Previdência, e sim garantir conquistas, e ampliar direitos. Não queremos uma Previdência de Capitalização”, destacou.

A reforma da Previdência irá atingir os que mais precisam da aposentadoria, pois ela modifica a idade mínima, corta benefícios, desmonta a aposentadoria rural, muda a pensão por morte. Traz também como consequência, desemprego e desigualdade.

Para Wagner da Silveira, Juca, presidente do Conespi e do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Piracicaba e região, “o desemprego continua a um nível alarmante, são mais de 27,9 milhões de pessoas subutilizadas (significa que quase 1 em cada 4 brasileiros aptos a trabalhar está fora do mercado de trabalho). Por isto neste ato, queremos chamar a atenção da população, que a reforma da Previdência para os trabalhadores, vem para prejudicar e não para fazer o Brasil crescer. A miséria será instalada no país. É preciso união para revertemos esta situação”, destacou.

Participaram da manifestação representantes do Sindicato dos Metalúrgicos de Piracicaba; Sindicato dos Bancários de Piracicaba; Bancários de Campinas; Municipais; Papeleiros; Construção Civil; Motoristas; Aposentados; Hoteleiros; Comerciários; dentre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − 13 =

Whatsapp
Skip to content